Agricultura de Baixo de Carbono e Agricultura Regenerativa

Agricultura com baixo teor de carbono e agricultura regenerativa para uma transição agroecológica.

Imagine um mundo em que cada bocado de comida que ingere contribui não só para a sua saúde, mas também para a saúde do nosso planeta. Um mundo em que a agricultura não é uma das principais fontes de gases com efeito de estufa, mas um meio de capturar e armazenar carbono. É este o mundo que a agricultura com baixo teor de carbono e a agricultura regenerativa buscam criar.

Vivemos numa época de desafios sem precedentes. As alterações climáticas, a perda de biodiversidade, o esgotamento dos recursos naturais - todos estes problemas estão ligados à forma como produzimos e consumimos os nossos alimentos. A agricultura é simultaneamente uma vítima e uma causa destes desafios. Não só é afetada pelas alterações climáticas, como também é responsável por quase um quarto das emissões globais de gases com efeito de estufa.

Perante esta realidade, precisamos de uma nova abordagem à agricultura. Uma abordagem que não só reduza as emissões de gases com efeito de estufa, mas que também ajude a mitigar os efeitos das alterações climáticas. É aqui que entram a agricultura de baixo carbono e a agricultura regenerativa.

Agricultura com baixo teor de carbono

Os sistemas e práticas agrícolas com baixo teor de carbono visam reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, sequestrar carbono e minimizar a pegada de carbono das atividades agrícolas. O uso sustentável dos solos, a eficiência dos recursos e a adoção de tecnologias e práticas inovadoras, como a agricultura de precisão, a agrossilvicultura e a lavoura de conservação, são as prioridades desta abordagem.

Agricultura regenerativa

A agricultura regenerativa, por outro lado, vai mais longe. O seu objetivo não é apenas reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, mas também restaurar a saúde dos solos, aumentar a biodiversidade e melhorar os ciclos da água. Utiliza técnicas como o pastoreio rotativo, que imita os movimentos naturais dos rebanhos para regenerar o solo, e a cobertura vegetal permanente, que protege o solo da erosão e ajuda a armazenar carbono.

Estas abordagens têm o potencial de transformar o nosso sistema alimentar. Podem ajudar a mitigar as alterações climáticas, a restaurar a biodiversidade e a melhorar a resiliência dos nossos sistemas agrícolas. Mas não estão isentas de desafios.

Um dos principais obstáculos à adoção da agricultura regenerativa e de baixo carbono é a falta de conhecimentos e competências. Estas técnicas requerem um conhecimento profundo dos sistemas naturais e a capacidade de trabalhar com eles e não contra eles. Exigem também um investimento de tempo e dinheiro, o que pode ser um obstáculo para os agricultores que já estão a lutar para fazer face às despesas.

Apesar destes desafios, existem soluções. Os programas de formação e apoio podem ajudar os agricultores a adquirir as competências necessárias. Os incentivos financeiros podem ajudar a compensar os custos iniciais. E as políticas públicas podem criar um ambiente favorável à adoção destas práticas.

Em última análise, a agricultura com baixas emissões de carbono e a agricultura regenerativa não são apenas técnicas agrícolas. São uma visão de um sistema alimentar que alimenta não só as pessoas, mas também o planeta. São uma resposta ao apelo dos nossos tempos, um apelo à ação para um futuro mais sustentável e resiliente.

Artigo escrito por Maxence, gerente de produto MyEasyCarbon da MyEasyFarm.

Está à procura de uma solução para apoiar os seus projetos de agricultura regenerativa e com baixas emissões de carbono?

Contate Maxence ou outros membros de nossa equipe de especialistas .

Partilhar :

Outros artigos

Ilustração do artigo carbon farming italia

Carbon farming Italia

🌍 E' ormai più di unno che è stato avviato un progetto di Carbon Farming con l'obiettivo di testare e calibrare il nostro strumento MyEasyCarbon per il calcolo e la produzione di crediti di carbonio da attività agricola.

Contactar-nos